quinta-feira, 27 de maio de 2010

Entrudo enfim

Nem todo gato é pardo,
nem todo poeta é bardo
e nem todo fome impudíca
é mote de tamborim e cuíca.

A alegria é ensaiada e barata,
mas falsa como olho de Pirata.
De tudo se ri,
nesse disfarçado haraquiri.

Carnaval de maluco,
de Napoleão, rouxinol e cuco
que se mata com bodoque e trabuco.

Folia sem graça,
máscara e mordaça
enquanto a vida passa.