domingo, 17 de fevereiro de 2013

A Hora


- É chegada a hora, poeta?

- Não! Ainda não.
Ainda existem versos
à espera do Poema
que os cristalize.
Ainda existem avencas
a serem regadas
e é preciso levar
as rosas que nasceram
para a Musa que se despiu. 
Ainda falta plantar
mais uma árvore,
semear esse resto de trigo,
criar outro cão
e saber da estrela
que se desconhecia.
Ainda falta esperar
que a vida que eu fiz,
outra vida também faça.
Ainda falta
refazer algumas pontes,
derrubar algumas cercas
e perdoar-me pelos pecados
que não cometi.

Então, só então, será a hora de ir.
Que outros cantem a canção da vida.

                       

               Para Miraflores Aldravia. Que os pampas do Uruguai acolham a tua valente doçura.