quarta-feira, 25 de julho de 2012

Ausente


Retomei os caminhos, amiga.
Mas em todas as estradas
a paisagem sonega tua imagem.
Ressinto-me por tua ausência
e a tua distância desconhecida,
faz-me menor.
De novo, os quartos de hotéis
guardam as nossas exaustões
e aquele gosto bom
de que algo, em alguém, deixamos.
Mas tu já não brilhas
com as promessas de amanhã.

Os caminhos voltaram
a se suceder. Os portos nos aguardam
e outros nos escutam.
Mas tu já não estás, amiga...


                    Para Érika. Saudade.