segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Tempos



QUARTOS

O silêncio da poesia que falta
preenche esse quarto estranho.
Tantos caminhos andei,
tantos corpos viajei
e em tão poucas almas fiquei
que agora só resta esperar
que outro anjo, embriagado de vida,
ensine-me a esquecer
os momentos vividos,
pois assim como tu,
o tempo não volta.


Lettré, l´art et la Culture. Rio de Janeiro, Verão de 2015.