quinta-feira, 12 de junho de 2014

Thyago


No Principio foi o Verbo e algum delírio.
Verbo e delírio de fazer. 
Fez-se o Filho.
De bônus, veio o brilho.
De bônus, veio o trilho.

No meio, o menino 
de um certo destino
de Quixote e moinho;
de bônus, o caminho.

Pouco mais do meio, o Poeta Idealista
que viveu cada fantasia 
e se descobriu Artista.
Máscara e cena; 
Ave, Anarquista!

Findo o meio, há que explorar o Sotão e o Porão.
Dos 18 aos 19, virou "bixo" e indeciso Socialista
a andar nas ruas que ainda haverão.


E nas ruas que já houveram, filho, você continuou a me dar muito mais que orgulho. Deu-me, sempre, a certeza de que o meu Mundo se faz melhor porque tu existe. Eu te amo cada vez mais.
Feliz aniversário.


Ao meu filho Thyago