quinta-feira, 30 de maio de 2013

Intervalo e Avenida


Nesse banco da Avenida eu assisto os passos
que levam as mulheres em brancas pernas.
E vejo os carros que atropelam o amarelo do sinal
e rugem como dragões renascidos
que correm em busca de carne fresca.

Um dia, eu escolhi rosas para um novo amor.
E foi estranho ver a melancolia da florista
que sorria tristeza.

Mas agora eu tenho que voltar.
Ainda falta falar de Kali, a deusa que bebe sangue
e atormenta e pune os homens que amaram.

Depois, devo me apressar,
pois a solidão estará impaciente
esperando-me nalgum quarto de hotel.



Digitado e montado por TAÍS ALBUQUERQUE, de Vassouras RJ.