quarta-feira, 8 de maio de 2013

Cracolândia


 "Deixai toda esperança, ó vós, que entrais"

Eis-me chegado ao "Terceiro Círculo"
por onde vagam os zumbis atemporais.
Por onde vagam os homens despossuídos de Passado
e deserdados de Futuro.
Homens, semi-homens que rodam nesse deturpado Nirvana
enquanto caminham o Presente eterno da vontade única.
Homens que o vento não leva, pois matéria já não são.
Apenas obsessão os forma, transforma e deforma,
sem que haja qualquer Lutero de salvadora reforma.
Cordeiros fustigados por Lobos anistiados
que as entranhas lhes devoram. Que as estranhas apavoram.
Homens sem rostos, pois a máscara de "não ser" é apenas uma.
Perambulam pelo "Vale da Morte" sem que haja Senhor ou Pastor,
cuja Fonte transbordante de Blake refrigere as suas almas danadas.
Estáticos, ainda que andem. Vivos, ainda que almas penadas.
Nascidos errados, permanentes indevidos
desfilam a nossa obscura verdade,
desfilam a crua nudez de sua indigência
e o retrato da nossa ausência.

                                                 
Inferno III, 9 - Dante Alighieri.

Referências a Martinho Lutero e a William Blake.
Gravura de Gustav Dorê