sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

O Cavalinho


Com a grosseria que se lhe podia adivinhar, abriu a boca desdentada e entre lufadas de mau-hálito falou e riu a um só tempo:

- Nega, vendi o cavalinho. Vou beber o bichinho em pinga ah....ah....ah...

No outro lado da rua, num cercado de arame farpado, um égua castanha, doente e maltratada, não conseguia entender o porquê de levarem uma das poucas coisas que a vida lhe deu.

As outras eram o cansaço, a fome, a sede, as chicotadas. Mas essas, ela nem procurava entender. Eram coisas do homem...




Foto pertencente à ONG http://www.chicotenuncamais.org/, valoroso grupo de homens e mulheres do Rio Grande do Sul que cuidam dos animais maltratados e abandonados pelos canalhas que os exploraram por toda a vida. Visite o Site do grupo e se você puder faça a doação necessária.