domingo, 19 de junho de 2011

Manhãs

Pedirei aos velhos
Xamãs,
a graça de acordar-te
em todas as
manhãs;
e a dádiva
das mil noites que
passarão
qual torrente de
monção.

Pedirei a todos os
Orixás
a benção de
saber-te em minha vida,
qual promessa cumprida.
Pois só tu repôs
esperança
e motivo
para o ato
de estar vivo.

E a todos os Santos
farei um apelo,
pois te sei
a ponta do novelo
que guia meus passos
nesse Labirinto
de tantos traços.

E a quem mais houver
por ti pedirei,
Rainha
que me faz Rei.