terça-feira, 7 de junho de 2011

Amar-te

Amar-te
com a paixão
das bacantes
e com a
suavidade
dos eternos
instantes.

E depois,
adormecer-te
com a calma
da brisa
do Atlântico,
que insisto
sentir aqui.