sexta-feira, 3 de outubro de 2014

A Mulher e as Fotos


Talvez exista uma saudade em cada foto.
Talvez, só a vontade de não se esquecer.
E os brilhos, os trajes e as outras faces,
extáticos no tempo e no papel,
ali ficam, 
à disposição das incertezas.

Em que tempo ficou
a mulher de tantos risos
e que agora, ainda se busca
no espelho de Narciso?

Quantos cremes te iludem?
Quanto rímel viaja na tua lágrima cansada?
Que batom ainda fala tua fantasia?
Que sombra, pensas,
oculta-te do tempo?

E pensar que tua beleza
já deu casa, fama e cama
aos que hoje te evitam.

É tão triste te ver
mulher maquiada.
Como eu, 
vivestes por nada.




Produção e divulgação de Lettré, l´art et la culture, Rio de Janeiro, Primavera de 2014. Texto incidental "A Mulher Maquiada".