quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Recomeços

São eternos os recomeços
em teu sorriso que amanheço.
E porque em ti a luz se perpetua,
sabe-se que a claridade é tua.

Se mais nada prevejo,
em ti eu vejo
que a vida é mais que um lampejo.

Sei-te a mulher
que a vida mostra,
qual flor que se posta
em desusada serenata
que o dia não resgata,
mas que a noite retrata.

Sei-te a última
a vagar em minha vida.
A sempre pretendida
e só agora colhida.