terça-feira, 28 de abril de 2015

Abujamra



Agora, é Antonio quem parte.
Vazio da santa anarquia,
ficastes, espaço, vago.
Inútil, ficastes, tempo,
pela inteligência suprimida.
E, órfãos de Abu, ficamos:
criaturas arrependidas
pelas transgressões não cometidas.
Vagos, vazios, ficamos nós.
Sós.



Homenagem pouca a Antonio Abujamra (1932-2015)



Lettré, l´art et la Culture. Rio de Janeiro, outono de 2015.