segunda-feira, 13 de abril de 2015

A América de Galeano



É certo que te segue
um heroico cortejo,
pois bem sabemos que em tua pena
a independência foi mais que um desejo.

Como poucos, tu denunciastes
os cruéis tiranos de tantos danos.

E como poucos, tu repôs a verdade
enquanto cantava a liberdade.

Siga, Mestre, esse novo caminho.
Saberemos honrar o teu grito
contra os covardes que se vendem
e saberemos impedir
as vozes macias desses falsos messias.


Homenagem pouca ao gênio Eduardo Hughes Galeano (Montevidéu, Uruguai -1940-2015).



Lettré, l´art et la Culture. Rio de Janeiro, 13 de abril de 2015.