quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Que fosse

Mesmo que tétrico,
que fosse épico
o novo poema
da morte amena.

Menos de fim
e mais de carmim.
Menos de ocaso
e mais de novo prazo.

Menos de fatal
e mais de sinal
que do corpo findo
desprende-se o eterno infindo.
Findou-se-lhe a tortura
de já não haver a procura.