sábado, 21 de agosto de 2010

Linho Gil Linha

Linho, linha e afeto
e eis que se faz perto
alguma esperança de certo.

Em certa colcha, em certa toalha,
senti o que me nutre e agasalha
e uma carícia verde palha.

Tecido, tecida malha
veste e mortalha
que a própria vida espalha.

Ouço Gil, linha e linho
e me quedo em desalinho
nesse bruto querer
de só contigo viver.

* Inspirado na poética de Gilberto Gil