domingo, 10 de novembro de 2013

Poderia ter sido


A vida que não foi, mestre Bandeira,
abre caminho para a angústia de ser só.
Hoje, a brisa não me trouxe o sorriso da Musa
e nem me chegou o voo do colibri.

A dor dos amores que foram breves
e que nem sei porque se foram
tinge de cinza a tarde finda.
O amor que imaginei maduro chegado,
fez-se silêncio um dia e ausência depois.
O amor que um dia curou as minhas dores
e escreveu a minha poesia,
morreu como quem nunca viveu.
E no ataúde em que se enterrou
não coube a última rosa que lhe guardei.

Já não brilha a estrela do leste, 
agora perdida no escuro sem fim.
A noite não compensa o Sol perdido
e a luz da Lua que um dia vestiu
as minhas fantasias 
estragou-se em realidade.

E pensar, mestre Bandeira, que a vida poderia ter sido...


                    
Homenagem pouca ao Mestre Manuel Bandeira.


Produção e divulgação de TANIA BITENCOURT, rien limitée, do Rio de Janeiro, na Primavera de 2013.