quarta-feira, 20 de novembro de 2013

A Negra Poetisa


Negra Graça poetisa 
mostre a tua santa ira e a tua doce lira.
Que teu canto voe, que teu verso ecoe
e que tais sejam ante a bruta ferocidade,
que não reste sombra da maldade.

Negra poetisa, por ti a luta se suaviza
e todo contrário se harmoniza.
Reviva o Baobá natal,
 reconte os mitos, os ritos,
e os gritos da África ancestral.
Cá te ouviremos,
pois de lá, todos viemos.

Ave Graça, da negra alegria!
Que nenhuma mordaça
cale a tua valentia
e nem nos roube a tua poesia.


Homenagem pouca à poetisa GRAÇA GOMES e ao poeta moçambicano MPIOSSO - YE- KONGO

Produção e divulgação de TANIA BITENCOURT, rien limitée, do Rio de Janeiro, no dia em que se celebra A Consciência Negra.