terça-feira, 26 de novembro de 2013

Amores Maduros


E sem que se perceba
um mediterrâneo azul olhar
devolve-me o sonho de sonhar.

Amores maduros
talvez indevidos,
talvez atrevidos,
talvez heroicos
nesses tempos Minóicos
de gregos labirintos.

Maduros amores
que tornam menores
os anos que trazemos
e melhores os que queremos.

Maduros amores
que dispensam os verbos
e acolhem os versos não ditos.
Silêncios falam.