domingo, 3 de janeiro de 2016

Vallentine em Copacabana


Enfim, as árvores nuas
marcaram a chegada do inverno tardio.

Então, ave de arribação,
Valenttine voou para o sul.

E viram os seus olhos de puro azul,
no breve minuto da virada,
a latina magia

de se fazer amor
como se faz poesia.


Para Vallentine.


Produção e divulgação de Vera L. M. Teragosa.