segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Profetas das Gerais



O Santo na pedra cristaliza um sonho de bondade
e a arte de Aleijadinho lhes permite a eternidade.

Barrocos olhares miram o infinito
e as faces de anjos e de demônios
perpetuam em frios granitos
os homens e seus gritos.

O eco dos carrilhões espalha a falsa santidade,
mas nem o ouro dos altares oculta o cesto de pesares.

As ladeiras carreiam os martírios
e nas Inconfidências vagam os delírios.

Impávidos, os Profetas a tudo assistem
e recusam o milagre rogado.

Somos o Passado.