quinta-feira, 25 de junho de 2015

As Separações


A cama que ainda te aquece,
já não me amanhece.
Nossas noites divorciaram-se.

Saibamos caminhar em busca de outro portos,
sem que nos pese
os rancores dos amores mortos.

E não nos apaguemos da memória,
pois houve em cada felicidade provisória
um pouco da nossa história.

Mas, agora, é tempo de ir.
Cumprir o Dharma
do nosso Devir.



Lettré, l´art et la Culture. Rio de Janeiro, inverno de 2015.